INFLUÊNCIAS MICROBIOLÓGICAS DO EIXO INTESTINO-CÉREBRO NO TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
PDF (Português (Brasil))

Keywords

Microbiota intestinal
Transtorno do Espectro Autista
eixo intestino-cérebro
condição neurológica

How to Cite

Oliveira, A. L. de, Rocha, K. M., Bastos, M. C., Faria, M. F., & Macêdo, G. B. (2024). INFLUÊNCIAS MICROBIOLÓGICAS DO EIXO INTESTINO-CÉREBRO NO TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA. REVISTA FOCO, 17(6), e5317. https://doi.org/10.54751/revistafoco.v17n6-024

Abstract

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição neurológica caracterizada por atrasos no desenvolvimento e comportamento, impactando ampla e significativamente a vida das crianças e suas famílias. Manifestações sintomáticas gastrointestinais são comuns entre os indivíduos com TEA, evidenciando a relação entre o intestino e o cérebro. O estudo objetiva demonstrar a interação entre a microbiota intestinal e o transtorno e opções de tratamento disponíveis. Portanto, trata-se de uma revisão bibliográfica, em que, foram aplicados o uso de bases de dados eletrônicas: Scientific Electronic Biblioteca Online (SCIELO), PUBMED, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). O período das publicações encontradas foi de 2019-2024. O TEA apresenta uma variedade de sintomas, incluindo problemas gastrointestinais, cuja prevalência é significativamente maior em crianças autistas do que na população em geral. Estudos destacam a influência da microbiota intestinal nesses sintomas, com aumento da presença de certas bactérias em indivíduos com o transtorno. Intervenções como probióticos, prebióticos e transplante de microbiota fecal mostrou melhorias na sintomatologia gastrointestinal e comportamental. Além disso, os achados bibliográficos demonstram que medicamentos como risperidona e aripiprazol são comumente prescritos para controlar sintomas secundários da síndrome. A investigação atual enfatiza a relevância da microbiota intestinal no Transtorno do Espectro Autista (TEA), indicando que intervenções terapêuticas direcionadas ao reequilíbrio dessa microbiota podem trazer benefícios para crianças com autismo. Adicionalmente, certos medicamentos podem auxiliar no controle de sintomas secundários, no entanto, a abordagem mais eficaz é aquela adaptada às necessidades individuais de cada paciente.

https://doi.org/10.54751/revistafoco.v17n6-024
PDF (Português (Brasil))

References

ALBUQUERQUE, L. R., et al. Eficácia do transplante da microbiota intestinal para redução de sintomas gastrointestinais e comportamentais em autistas. Revista Eletrônica de Iniciação Científica III, v. 20, n. 5, p. 12-26, 2021.

BARROS, J. A. A Revisão Bibliográfica: uma Dimensão Fundamental para o Planejamento da Pesquisa. Instrumento: R. Est. Pesq. Educ. Juiz de Fora, v. 11, n. 2, jul./dez. 2009.

BARZOTTO, M. B.M. Eficácia de medicamentos utilizados no tratamento de sintomas do Transtorno do Espectro Autista: uma revisão sistemática com metanalise. Cuadernos de Educación y Desarrollo, v. 12, n. 07, p. 17194–17222, 2023.

BRANDÃO, T. L. S., et al. Suplementação de prebióticos e probióticos em crianças autistas: revisão integrativa. Research, Society and Development, v. 11, n. 1, p. e12811124061-e12811124061, 2022.

COSTA, G. O. N.; ABREU, C. R. C. Os benefícios do uso de psicofármacos no tratamento de indivíduos com transtorno do espectro autista (TEA): revisão bibliográfica. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, Brasil, São Paulo, v. 4, n. 8, p. 240–251, 2021.

CREIMER, G. P.; SANTOS, L. G.; MATOS, L. A. Microbiota intestinal e a influência sob os sintomas do autismo: uma revisão sistemática de ensaios clínicos. 2022. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso – (Graduação em Medicina) – Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória, Vitória, 2022.

CUNHA, P. R., et al. Transtorno do espectro autista: principais formas de tratamento. 2021. 15 f. Trabalho de Curso – (Graduação em Psicologia) – Faculdade UNA-Santa Cruz, Catalão, 2021.

DE ASSIS, D. O., et al. As especificidades do tratamento farmacológico e suas restrições no transtorno do espectro do autismo / Especificidades do tratamento farmacológico e indicações no transtorno do espectro do autismo. Revista Brasileira de Revisão de Saúde, v. 3, n. 1, p. 13207–13216, 2021.

FAULIN, T. E. S.; ESTABELLA, D. Alzheimeir’s disease and relationship with the microbiota-gut-brain axis. Arq Gastroenterol, v. 60 n. 1, jan/mar., p. 14-29, 2023.

GONÇALVES, T. G.; et al. Intervenções terapêuticas na microbiota intestinal e as mudanças dos sintomas do transtorno do espectro autista. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, Umuarama, v. 27, n.5, p. 3331-3356, 2023.

GUEDES, P. A. M. N., et al. Efeitos positivos e negativos da análise do comportamento aplicada e risperidona em crianças portadoras de autismo. Revista FOCO, v. 16, n. 7, p. e2479, 2023.

LOPES, Ana Maria Costa da Silva. O autismo e suas conexões: qual medicação para o autista? Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 25, n. 3, p. 1343-1352, 2019.

LORDELLO, M. C. Identificação da relação entre o transtorno de espectro de autismo (TEA) e a microbiota intestinal alterada e como o transplante fecal pode ser utilizado como forma de tratamento da doença. 2021. 58 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Farmácia) – Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2021.

NASCIMENTO, G. F. R., et al. Avaliação de métodos farmacológicos no Transtorno do Espectro Autista (TEA): a importância da medicação no tratamento de crianças e adolescentes. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, v. 14, n. 7, p. e511101422442, 2021.

SABINO, S. M. V.; BELÉM, M. O. A relação do transtorno do espectro autista e a disbiose intestinal: uma revisão integrativa. J. Health Biol Sci., v. 10, n. 1, p. 1-9, 2022.

SANCTUARY M. R., et al. Pilot study of probiotic/colostrum supplementation on gut function in children with autism and gastrointestinal symptoms. PLoS One, v. 14, n. 1, p. e0210064, 2019.

SILVA, A. R. Carlos E; ARAÚJO, D. C. Distúrbios comportamentais associados ao transtorno do espectro autista (TEA)-tratamento farmacológico e o manejo clínico de reações adversas. Revista Multidisciplinar do Sertão, v. 4, n. 3, p. 276-285, 2022.

SILVA, S. N., et al. A importância da atenção farmacêutica nos cuidados a pacientes portadores do transtorno do espectro autista (TEA). Revista JRG de estudos acadêmicos, brasil, São Paulo, v. 5, n. 10, p. 16–28, 2022.

SILVEIRA, D. T.; RAMOS, E. M.; SOUZA, F. S. G., et al. Uso de probióticos para pessoas com transtorno do espectro autista: uma revisão narrativa. Disponível em: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/32812. Acesso em: 02 mar. 2024.

TURQUIA, G. F. C., et al. Microbiota intestinal do espectro autista. Graduandas do Curso de Nutrição do Centro Universitário Una Bom Despacho-MG. Disponível em: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/34598. Acesso em: 02 abr. 2024.

VIEIRA, Thomas Raubach Hoffmann. Relação do eixo microbiota-intestino-cérebro nos sintomas de ansiedade e depressão com o consumo de fibras dietéticas: revisão de literatura. 2022. 65 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Nutrição) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Medicina, Porto Alegre, 2022.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.