CONHECIMENTO E PRÁTICA DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO INFANTIL POR COZINHEIRAS E PROFESSORAS DE CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL
PDF (Português (Brasil))

Keywords

Conhecimento
educação infantil
nutrição da criança

How to Cite

de Almeida, J. L., & Speridião, P. da G. L. (2023). CONHECIMENTO E PRÁTICA DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO INFANTIL POR COZINHEIRAS E PROFESSORAS DE CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL. REVISTA FOCO, 16(11), e3666. https://doi.org/10.54751/revistafoco.v16n11-148

Abstract

Objetivo: verificar o conhecimento e a prática de cozinheiras e professoras dos Centros de Educação Infantil, sobre alimentação e nutrição infantil. Métodos: estudo exploratório e descritivo realizado em oito centros de educação infantil da zona sul da cidade de São Paulo em 2021. Contou com cozinheiras e professoras que responderam a um questionário estruturado, com perguntas sobre alimentação e nutrição infantil e dados sociodemográficos. Resultados: participaram do estudo, 16 cozinheiras e 35 professoras, sendo que a maioria delas são mães. As cozinheiras têm ensino médio e as professoras, ensino superior. Sobre aleitamento materno, a maioria das participantes tem conhecimento errôneo sobre o tema. O percentual de acerto sobre a idade recomendada para a introdução de diferentes grupos alimentares foi inferior a 31,4% para os alimentos ultraprocessados, como gelatina e queijo petit suisse, entre cozinheiras e professoras. A frequência com que as cozinheiras e professoras participam de cursos/treinamentos em alimentação e nutrição variou entre 1 a 2 vezes/ano. Sobre a formação dos hábitos alimentares das crianças, cozinheiras e professoras não reconhecem sua responsabilidade, porém, atribuem esse papel às famílias. Conclusões: parcela dos conhecimentos sobre alimentação e nutrição infantil de cozinheiras e professoras são oriundos das suas experiências pessoais e de vida, sendo que suas práticas sugerem potencialidade na contribuição do desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis em crianças, contudo, é necessária educação permanente em alimentação e nutrição infantil para essas profissionais.

https://doi.org/10.54751/revistafoco.v16n11-148
PDF (Português (Brasil))

References

ALBUQUERQUE, A. G. Conhecimentos e práticas de educadores e nutricionistas sobre educação alimentar e nutricional no ambiente escolar. 2012. Dissertação (Mestrado em Nutrição) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2012.

BARBERINI, A. Pedagogia da comida: Práticas da alimentação escolar a partir da percepção de merendeiras. Dissertação (mestrado profissional em educação) - Universidade Federal da Fronteira Sul, Erechim, Rio Grande do Sul, 2021.

BRASIL. Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 jun. 2009. Seção 1, p. 2.

BRASIL. Lei nº 13.666, de 16 de maio de 2018. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), para incluir o tema transversal da educação alimentar e nutricional no currículo escolar. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 de maio. 2018ª. Seção1, p.1.

BRASIL. Lei nº 13.666, de 16 de maio de 2018. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), para incluir o tema transversal da educação alimentar e nutricional no currículo escolar. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 de maio. 2018. Seção1, p.1.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução/FNDE/CD/n° 26 de 17 de junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 jun. 2013. Disponível em: < https://www.fnde.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/item/4620-resolu%C3%A7%C3%A3o-cd-fnde-n%C2%BA-26,-de-17-de-junho-de-2013>. Acesso em: 25 ago 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução/FNDE/CD/n° 6 de 08 de maio de 2020b. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 mai. 2020. Seção1, p. 38.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação-FNDE. Educação alimentar e Nutricional no PNAE: atores sociais e possibilidades de atuação. Nota técnica nº 2810740/2022/COSAN/CGPAE/DIRAE. FNDE, 2022. Disponível em:< processo-23034005938202248 (www.gov.br)>. Acesso em: 26 mai 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução/FNDE/CD/n° 6 de 08 de maio de 2020b. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 mai. 2020. Seção1, p. 38.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução/FNDE/CD/n° 6 de 08 de maio de 2020b. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 mai. 2020. Seção1, p. 38.

BRITO JR, L.C.J.; ESTÁCIO, A.G. Tabus alimentares em medicina: uma hipótese para fisiopatologia referente aos alimentos remosos. Revista da Associação Médica Brasileira, São Paulo, v. 59, n. 3, p. 213-216, 2013. Disponível em:< https://www.scielo.br/j/ramb/a/zTYwsxXFtwjVYXvjg7N5qCt/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 13 jun. 2022.

CIAMPO, L.A.D.; RICCO, R.G.; FERRAZ, I.S.; DANELUZZI, J.C.; MARTINELI JR, C.E. Aleitamento materno e tabus alimentares. Revista Paulista de Pediatria. São Paulo, v.26, n.4, p. 345-349, dez 2008. Disponível em:< https://www.scielo.br/j/rpp/a/pzcj3WxGGd5Cj8nQK4KbsBs/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 13 jun. 2022.

FONTES, P.G.; RAZUCK, R.C.S.R.; RAZUCK, F.B. O professor como influenciador de hábitos alimentares saudáveis na escola. Ensino, Saúde e Ambiente, Rio de Janeiro, v 14, n. 2, p. 895-912, mai/ago. 2021.

GUERIN, C.S.; TREVISAN. C.L.; ALMEIDA, M.L.; SILVA, R.A.S.; MUNHAK, R.M.S.;SILVA, M.A.L.; ZILLY, A. et al. Práticas e Conhecimentos de Educadores Infantis Sobre Alimentação Complementar. Revista Pleiade, Foz do Iguaçu, v.13, n.29, p. 48-57, Jul/Dez. 2019.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa de orçamentos familiares 2017-2018. de Janeiro, 2020. Disponível em:. Acesso em: 13 agosto. 2022.

MALTA, D.C.; GOMES, C.S.; BARROS, M.B.A.; LIMA, M.G.; ALMEIDA, W.S.; PRATES, E.J.S.; MACHADO, I.E.; SILVA, D.R.P.; WERNECK, A.O.; DAMACENA, G.N.; SOUZA JR, P.R.B.; AZEVEDO, L.O.; ROMERO, D.E.; SZWARCWALD, C.L. Doenças crônicas não transmissíveis e mudanças nos estilos de vida durante a pandemia de COVID-19 no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 24, p. 1-15, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepid/a/rhTGSqRDbs94Wh8CmjggYTb/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em 12 jan. 2022.

MS - MINISTÉRIO DA SAÚDE. Guia alimentar para a população brasileira. Ed 2, Brasília: Ministério da Saúde, 2014. Disponível em:< http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira.pdf> Acesso em: 14 out. 2020.

MS - MINISTÉRIO DA SAÚDE. Guia alimentar para crianças brasileiras menores de 2 anos. Brasília: Ministério da Saúde, 2019. Disponível em:< http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/guia_da_crianca_2019.pdf> Acesso em: 14 out. 2020.

MS - MINISTÉRIO DA SAÚDE. Guia alimentar para crianças brasileiras menores de 2 anos. Brasília: Ministério da Saúde, 2019. Disponível em:< http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/guia_da_crianca_2019.pdf> Acesso em: 14 out. 2020.

OLIVEIRA.I.G. Alimentação escolar no discurso de manipuladores de alimentos de escolas brasileiras. Dissertação (mestrado em Nutrição e Saúde) - Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, 2017.

PAIXÃO, J.A.; SOUZA, E.C.G.; OLIVEIRA, F.A.; MATOS, G.B.G. Percepção de professoras sobre o papel da escola na formação do bom hábito alimentar. Educação: Teoria e Prática, Rio Claro, v. 31, n.64, 2021. Disponível em:< https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/educacao/article/view/14697/12104>. Acessado em: 16, jun, 2022.

PENSSAN - REDE BRASILEIRA DE PESQUISA EM SOBERANIA E SEGURANÇA ALIMENTAR. IIVIGISAN: II Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil. Rio de Janeiro: Rede Penssan, 2022. Disponível em: https://olheparaafome.com.br/wp-content/uploads/2022/06/Relatorio-II-VIGISAN-2022.pdf > Acesso em 13 agosto. 2022.

RAMOS, M.; STEIN, L. M. Desenvolvimento do comportamento alimentar infantil. Jornal de Pediatria, Porto Alegre, v. 76, supl. 3, p.229-237, 2000.

RAMOS, P.M. Cotidiano alimentar das crianças de escolas de educação infantil: visão dos funcionários. Revista Nutrição Brasil, São Paulo, v. 18, n.1, p. 1-6, 2019. Disponível em: < https://portalatlanticaeditora.com.br/index.php/nutricaobrasil/article/view/1217/4946> Acesso em 08 fev. 2022.

SÃO PAULO. Secretaria Municipal de Educação. Orientação normativa de educação alimentar e nutricional para educação infantil. Diário Oficial da Cidade de São Paulo, São Paulo, SP, 18 jul 2020. Disponível em:< https://www.sinesp.org.br/179-saiu-no-doc/10269-orientacao-normativa-de-educacao-alimentar-e-nutricional-para-educacao-infantil-18-07-2020>. Acesso em 18 jan. 2022. p. 15 a 19.

SBP - SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Manual de Alimentação: orientações para alimentação do lactente ao adolescente, na escola, na gestante, na prevenção de doenças e segurança alimentar. 4ª ed. São Paulo: SBP, 2018.

SILVA , D.R.; WENECK, A.O.; MALTA, D.C.; SOUZA JR, P.R.B.; AZEVEDO, L.O.; BARROS, M.B.A.; SZWARCWALD, C.L. Incidence of physical inactivity and excessive screen time during the first wave of the COVID-19 pandemic in Brazil: what are the most affected population groups?. Annals of Epidemiology, New York, v.62, p. 30-35, maio. 2021a. Disponível em :< https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1047279721000843?via%3Dihub> Acesso em 12 jan. 2022.

SILVA, A.C.A.; TELAROLLI, J.R.; MONTEIRO, M.I. Analisando conhecimentos e práticas de agentes educacionais e professoras relacionados à alimentação infantil. Ciência & Educação, Bauru, v. 16, n. 1, p. 199-214, 2010.

SILVA, D.R.; WENECK, A.O.; MALTA, D.C.; SOUZA JR, P.R.B.; AZEVEDO, L.O.; BARROS, M.B.A.; SZWARCWALD, C.L. Changes in the prevalence of physical inactivity and sedentary behavior during COVID-19 pandemic: a survey with 39,693 Brazilian adults. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n.3, p. 1-14, 2021b.Disponível em:<https://www.scielo.br/j/csp/a/yKN8TcTsprZ6McpstBk5kqg/?format=pdf&lang=en>. Acesso em 12 jan. 2022.

SIMABUKURO, E.E.;OLIVEIRA, M.N.;TADDEI, J.A.A.C. Conhecimentos de educadores de creches sobre alimentação infantil. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v.26, n.3, p.231-237, 2008.

SOUZA, J.P.O.; PRUDENTE, A.M.; SILVA, D.A.; PEREIRA, L.A.; RINALDI, A.L.M. Avaliação do conhecimento de funcionárias de escolas municipais de educação infantil sobre aleitamento materno e alimentação complementar. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v. 31, n. 4, p. 480-487. 2013. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/rpp/a/tzH8FfxYbLkmNJ677DCTSXf/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em 08 fev. 2022

TEO, C.R.P.A.; SABEDOT, F.R.B.; SCHAFER, E. Merendeiras como agentes de educação em saúde da comunidade escolar: potencialidades e limites. Revista Espaço para a Saúde, Londrina, v. 11, n. 2, p. 11-20, jun. 2010.

WERNECK, A.O.; SILVA, D.R.; MALTA, D.C.; GOMES, C.S.; SOUZA JR, P.R.B.; AZEVEDO, L.O.; BARROS, M.B.A.; SZWARCWALD, C.L. Associations of sedentary behaviours and incidence of unhealthy diet during the COVID-19 quarantine in Brazil. Public Health Nutrition, Cambridge, v.24, n.3, p. 422–426, 2021. Disponível em:<https://www.cambridge.org/core/journals/public-health nutrition/article/associations-of-sedentary-behaviors-and-incidence-of-unhealthy-diet-during-the-covid19-quarantine-in-brazil/14E617813DF0737A6554E39E1053EB31> Acesso em 12 jan. 2022.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. Pan American Health Organization. Guinding principles for complementary feeding of the breastfed child. Washington DC, 2003. Disponível em:< https://www.who.int/nutrition/publications/guiding_principles_compfeeding_breastfed.pdf>. Acesso em 24 jan. 2022.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. Pan American Health Organization. Guinding principles for complementary feeding of the breastfed child. Washington DC, 2003. Disponível em:< https://www.who.int/nutrition/publications/guiding_principles_compfeeding_breastfed.pdf>. Acesso em 24 jan. 2022.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.