O PAPEL DO FARMACÊUTICO NA ORIENTAÇÃO DO USO DE COSMÉTICOS ECOLÓGICOS E SUSTENTÁVEIS
PDF (Português (Brasil))

Keywords

Cosméticos sustentáveis
ecológicos
atenção farmacêutica

How to Cite

França, M. V., Silva, E., Pereira, F. M., Serrão, C. K. R., & Freitas, N. H. (2023). O PAPEL DO FARMACÊUTICO NA ORIENTAÇÃO DO USO DE COSMÉTICOS ECOLÓGICOS E SUSTENTÁVEIS. REVISTA FOCO, 16(11), e3635. https://doi.org/10.54751/revistafoco.v16n11-111

Abstract

O mercado de cosméticos tem expandido mundialmente sendo o quarto maior setor, e é um dos mais rentáveis do Brasil. Com isso, tem se tornado uma área atrativa, por desenvolver produtos sustentáveis a partir de pesquisas para suprir o desejo da população, ganhando destaque os cosméticos vegetais e veganos. Diante de tal cenário, o estudo tem por objetivo descrever o papel do farmacêutico na orientação do uso de cosméticos ecológicos e sustentáveis a população. Metodologia: Foi realizada revisão narrativa, qualitativa e exploratória de conteúdo de livros, revistas e outros materiais publicados, selecionados nas bases de dados no Portal de Periódicos da CAPES, Pubmed e Google Acadêmico, utilizando-se os termos de busca em saúde: “setor cosmético”; “cosmético sustentável”; “atenção farmacêutica”; nos idiomas em português e inglês, no limite temporal dos últimos dez anos (2013 – 2023). Os critérios de exclusão foram definidos em quaisquer publicações que não correspondam ao assunto, e estavam fora do tempo proposto (2013 - 2023), sem relação com os descritores de busca e repetidos em outras bases de dados. Resultados: A utilização de cosméticos é uma prática antiga que se aprimorou com o passar das gerações até atingir uma grande massa populacional. Com isso, muitas matérias-primas são utilizadas, sendo obtidas na natureza até mesmo elaboradas sinteticamente. No entanto, a sustentabilidade tem despertado a atenção das empresas de cosméticos, que passaram a desenvolver tais itens com princípio ativo vegetal e vegano. E com isso, tornou-se fundamental a participação do farmacêutico na orientação aos usuários garantindo o uso seguro e racional destes produtos. Considerações Finais: Mediante a tal circunstância, uma parcela da população  passou a consumir tais produtos sem conhecimento prévio, sendo necessário, uma intervenção eficaz do profissional farmacêutico, que pode contribuir na liberação, orientação,  uso, e manejo de reações de hipersensibilidade, promovendo assim o bem-estar e a saúde da população.

https://doi.org/10.54751/revistafoco.v16n11-111
PDF (Português (Brasil))

References

ABIHPEC. Do vegano ao sem perfume: indústria de cosméticos aposta em segmentação. 2019. Disponível em: <https://abihpec.org.br/do-vegano-ao-sem- perfume-industria-de-cosmeticos-aposta-em-segmentacao/> Acesso em: 17 ago 2023.

ALLEMAND, A. G. S. Formulações em cosmetologia. Porto Alegre: SAGAH, 2018. BARBERATO, L. C.; SCHERER, M. D. dos A.; LACOURT, R. M. C. O farmacêutico

na atenção primária no Brasil: uma inserção em construção. Ciência & saúde coletiva, v. 24, p. 3717-3726, 2019.

ANFARMAG. Dicas Farmacotécnicas Cosméticos Orgânicos. Revista Anfarmag, no 116, 2020. Disponivel em: <https://www.anfarmag.org.br/files/editor/files/revistas_ anfarmag/ 116/dicas_cosmeticos_organicos.pdf>. Acesso em: 23 out 2023.

BENDER, Suzana; TOZZO, Marlene; BERTONCELLO, Lígia. BIOCOSMÉTICO OU COSMÉTICO ORGÂNICO: REVISÃO DE LITERATURA. Revista Thêma et

Scientia, v. 2, n. 1, 2012.

BRASIL. Resolução nº 616, de 25 de Novembro de 2015. Conselho Federal de Farmácia. Brasília. 2015. Disponível em: <https://www.legisweb.com.br/ legislacao/?id=310581>.Acesso em: 15 out. 2023.

BRASIL. Resolução RDC nº 7, de 10 de Fevereiro de 2015. Dispõe sobre os requisitos técnicos para a regularização de produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes e dá outras providências. Brasília: DF, 2015. Disponível em: Acesso em: 18 ago 2023.

BRASIL. Resolução nº 573, de 22 de Maio de 2013. Conselho Federal de Farmácia. Brasília. 2013. Disponível em: < https://www.cff.org.br/userfiles/ file/resolucoes/573.pdf>. Acesso em: 15 out. 2023.

BRATZ, Pâmela Dominik Engers; MALLET, Emanuelle Kerber Vieira. Toxina Botulínica Tipo A: abordagens em saúde. Revista saúde integrada, v. 8, n. 15-16, p. 01-11, 2016.

CAIADO, Ana Laura; VIEIRA, Tatiana Reis. Cosméticos Veganos, Naturais e Orgânicos. 30f. Monografia, Curso de Graduação em Farmácia, Universidade de Uberaba - UNIUBE, Uberaba-MG, 2020.

CARVALHO, Glaucia Mauch de. Eriobotrya japonica (Thunb.) Lindl.(ameixa amarela): estudo de revisão botânico, fitoquímico, antioxidante e fotoprotetor aplicada a fitocosméticos para a elaboração de protetores solares. 54f. Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso, Curso de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP, Ouro Preto – MG, 2022.

COSTA, Mariana Chaves. Determinantes de sustentabilidade do consumo de cosmético verde no Brasil. 52f. Monografia, Curso de Administração, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza – CE, 2017.

DA SILVA TAMASHIRO, H. R.; DA SILVEIRA, J. A. G.; MANTOVANI, D. M. N.; DE

ABREU CAMPANÁRIO, C. R. A. Aspectos determinantes do consumo de produtos cosméticos verdes. Revista de Administração e Inovação, v. 11, n. 1, p. 238-262, 2014.

DOS SANTOS, P. R. M.; DOS SANTOS JUNIOR, P. R.; TERRES, S.; DE SENA

SILVA, V. T.; WAGNER, A. F. Estudo de caso bibliográfico acerca do perfil do consumidor de cosméticos sustentáveis. Revista Vitrine, v. 1, n. 10, 2022.

FLOR, Juliana; MAZIN, Mariana Ruiz; FERREIRA, Lara Arruda. Cosméticos Naturais, orgânicos e veganos. Cosmetics & Toiletries (Brasil) São Paulo, v. 31, p 30-36, 2019.

GALEMBECK F, CSORDAS Y. Cosméticos: a química da beleza. 2015. Disponível em: https://fisiosale.com.br/assets/9no%C3%A7%C3%B5es-de-cosmetologia-2210. pdf. Acesso em: 15 out. 2023.

GODOY, I. M.; RODRIGUES, S. A.; FREITAS, J. G. A. D.; OLIVEIRA, T. L. S. A

atuação do farmacêutico na saúde estética. Revista eletrônica de trabalhos acadêmicos, Goiânia, v. 3, n. 1-15, 2016.

GOMES, R. K, DAMAZIO, M. G. Cosmetologia: Descomplicando os Princípios Ativos. 5. ed., ver. São Paulo, SP: RED Publicações, 2017.

ISAAC, Gustavo Elias Arten. O desenvolvimento sustentável do setor cosmético e o comportamento do consumidor frente aos cosméticos sustentáveis. 140f. Dissertação, Mestrado em Desenvolvimento Sustentável, Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino – FAE, São João da Boa Vista – SP, 2016.

MARTINS, Van. Cuidados farmacêuticos na dispensação de dermocosméticos. ICTQ, 2016. Disponível em: <https://ictq.com.br/farmacia-clinica/3170-cuidados- farma ceuticos-na-dispensacao-de-dermocosmeticos>. Acesso em: 16 out. 2023.

NAKAGAMI, Izabella Ayume; PINTO, Liliane Pereira. Beleza sustentável: ativos naturais na formulação de cosméticos orgânicos. Research, Society and Development, v. 9, n. 2, p. e88922064-e88922064, 2020.

OCEANE, Redação. Cosméticos naturais: 18 opções de ativos naturais p/ adotar. 2023. Disponivel em: <https://blog.oceane.com.br/skincare/cosmeticos-naturais-18- opcoes-de-ativos-naturais-p-adotar/>. Acesso em: 15 out. 2023.

REBELLO, T. Guia de Produtos Cosméticos. 12.ed.rev.ampl. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2017.

SILVA, Vanessa Aparecida dos Santos. Dinâmica do mercado de óleos essenciais para uso individual no Brasil. 128f. Dissertação de Mestrado, Mestrado em Agronegócios, Programa de Pós-Graduação em Agronegócios do Centro de Estudos e Pesquisas em Agronegócios, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre – RS, 2023.

SOUZA, Ivan. História dos cosméticos da Antiguidade ao século XXI. Blog Cosmético em Foco, 2018. Disponível em: <https://cosmeticaemfoco.com.br/artigos/ historia-dos-cosmeticos-da-antiguidade-ao-seculo-xxi/>. Acesso em: 13 out. 2023.

THE VEGAN SOCIETY. Definition of veganism. 2018 Disponível em:

<https://www.vegansociety.com/go-vegan/definition-veganism>. Acesso em: 15 out. 2023.

VICENTE, Elen Bruna Pereira. Uso da radiofrequência para flacidez facial na biomedicina estética. 20 f. Artigo. Bacharelado em Biomedicina. Centro Universitário de Maringá - UniCesumar, Maringá – PR, 2017.

ZUCCO, Alba; DE SOUSA, Francisco Santana; DO CARMO ROMEIRO, Maria. Cosméticos naturais: uma opção de inovação sustentável nas empresas. Brazilian Journal of Business, v. 2, n. 3, p. 2684-2701, 2020.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.