DA MÉTRICA AO CONCEITO DE DESEMPENHO ORGANIZACIONAL COMO FATO SOCIAL TOTAL: DISCUSSÃO PARADIGMÁTICA E PROPOSTA DE AGENDA DE PESQUISA
PDF (Português (Brasil))

Keywords

Desempenho organizacional
paradigma da complexidade
fato social total

How to Cite

Bastos, A. de M., Porto, E. da R., Yaya, M. L. dos S., & Siqueira, L. S. (2023). DA MÉTRICA AO CONCEITO DE DESEMPENHO ORGANIZACIONAL COMO FATO SOCIAL TOTAL: DISCUSSÃO PARADIGMÁTICA E PROPOSTA DE AGENDA DE PESQUISA. REVISTA FOCO, 16(11), e3482. https://doi.org/10.54751/revistafoco.v16n11-171

Abstract

O desempenho organizacional se apresenta como um elemento de constante frequência nas pesquisas científicas do campo da Administração, embora o conceito seja relevante, inúmeros pesquisadores demonstram a dificuldade de encontrar uma definição conceitual do que de fato representa o desempenho organizacional. Neste sentido, o presente ensaio teórico tem por objetivo refletir, a partir de algumas publicações brasileiras que levam em conta o aspecto do desempenho organizacional, como o debate paradigmático que permeia os estudos organizacionais pode ser traduzido para estudos em desempenho e auxiliar na melhor compreensão do conceito. Foram analisados 17 artigos publicados em 6 periódicos brasileiros indexados na base de dados SciElo, em seguida foi apresentada uma breve síntese das discussões paradigmáticas que permeiam o campo dos estudos organizacionais. O paradigma da complexidade foi utilizado como base argumentativa para defender que o desempenho organizacional representa um fato social total. Foram apresentados argumentos lógicos e teóricos acerca da proximidade dos conceitos e, por fim, foram propostos problemas de pesquisa que podem ser explorados por pesquisados interessados em estudar o desempenho organizacional de forma complexa e sob esta matriz de pensamento. Como proposta metodológica para esta agenda foi proposta a adesão da discussão fenomenológica baseada na experiência do sujeito proposto por Alfred Schutz para as ciências sociais e a proposta pragmatista Peirceana orientada para noção de impacto prático sob a lógica da ação e do sentido do fenômeno estudado.

https://doi.org/10.54751/revistafoco.v16n11-171
PDF (Português (Brasil))

References

ABBADE, E. B.; ZANINI, R. R.; SOUZA, A. M.; Orientação para aprendizagem, orientação para mercado e desempenho organizacional: evidências empíricas. Revista de Administração Contemporânea, v. 16, n. 1, p. 118-136, 2012.

BERTERO, C. O.; Influências sociológicas em Teoria Organizacional. Revista de Administração de Empresas, v. 15, n. 6, p. 27-37, 1975.

BRITO, L. A. L.; VASCONCELOS, F. C.; A Heterogeneidade do Desempenho, suas Causas e o Conceito de Vantagem Competitiva: Proposta de uma Métrica. Revista de Administração Contemporânea, ed. spe, p. 107-129, 2004.

BURREL, G; MORGAN, G. Sociological paradigms and organizational analysis. London, 1979.

CAMILO, S. P. O.; MARCON, R.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; Conexões Políticas e Desempenho: um Estudo das Firmas Listadas na BM&FBovespa. Revista de Administração Contemporânea, v. 16, n. 6, p. 784-805, 2012.

CAMPOS, A. M.; Contribuição para o Resgate da Relevância do Conhecimento para a Administração. Rev. Saúde Coletiva, v. 7, n. 2, p. 105-127, 1997.

CASTRO, F. F.; A sociologia fenomenológica de Alfred Schutz. Ciências Sociais Unisinos, v. 48, n. 1, p. 52-60, 2012.

CARNEY, R. W.; CHILD, T. B.; XIANG, L.; Board connections and crisis performance: Family, state, and political networks. Journal of Corporate Finance, v. 64, n. 1, p. 1-24 , 2020.

CARDOZO, C. T.; KRONMEYER FILHO, O. R.; VACCARO, G. L. R.; Keep Innovating: Absorptive Capacity and the Performance of Brazilian Information Technology Companies. Revista de Administração Contemporânea, v. 23, n. 4, p. 499-519, 2019.

CARVALHO, F. M.; KAYO, E. K.; MARTIN, D. M. L.; Tangibilidade e Intangibilidade na Determinação do Desempenho Persistente de Firmas Brasileiras. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 5, p. 871-889, 2010.

CAVAZOTTE, F. & CHANG, N. C. Internal Corporate Social Responsibility and Performance: A Study of Publicly Traded Companies. BAR - Brazilian Administration Review, v. 13, n. 4, p. 1-19, 2016.

CHEVALLIER, J; LOSCHAK, D. A ciência administrativa. São Paulo: Europa-America, 1980.

CUNHA, J. A. C.; CORRÊA, H. L. Avaliação de desempenho organizacional: um estudo aplicado em hospitais filantrópicos. Revista de Administração de Empresas, v. 53, n. 5, p. 485-499, 2013.

DAVILA, G.; VARVAKIS, G.; NORTH, K.; Influence of Strategic Knowledge Management on Firm Innovativeness and Performance. BBR. Brazilian Business Review, v. 16, n. 3, p. 239-254, 2019.

GOMES, G.; WOJAHN, R. M.; Organizational learning capability, innovation and performance: study in small and medium-sized enterprises (SMES). Revista de Administração (São Paulo), v. 52, n. 2, p. 163-175, 2017.

GUIMARÃES, J. C. F.; SEVERO, E. A.; VASCONCELOS, C. R. M.; Vantagem Competitiva Sustentável: Uma Pesquisa em Empresas do Sul do Brasil. BBR. Brazilian Business Review, v. 14, n. 3, p. 352-367, 2017.

HE, Y.; WEN, C.; HE, J.; The influence of China Environmental Protection Tax Law on firm performance – evidence from stock markets. Applied Economics Letters, v. 27, n. 3, p. 1044-1047, 2020.

INOUE C.; Election Cycles and Organizations: How Politics Shapes the Performance of State-owned Enterprises over Time. Administrative Science Quarterly, v. 65, n. 3, p. 677-709, 2020.

JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D.; Dicionário Básico de Filosofia. 3ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

KAUFMANN, D.; REUVENI, B.; Influence of economic crisis on the performance of incubated companies: the Israeli case. European Planning Studies, v. 28, n. 11, p. 2153-2173, 2020.

KINOUCHI, R. R.; Notas introdutórias ao pragmatismo clássico. Scientia e studia, v. 5, n. 2, p. 215-226, 2007.

KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1987.

MARÍN-IDÁRRAGA, D. A.; CUARTAS-MARÍN, J. C.; Relación entre la innovación y el desempeño: Impacto de la intensidad competitiva y el slack organizacional. Revista de Administração de Empresas, v. 59, n. 2, p. 95-107, 2019.

MATITZ, Q. R. S.; BULGACOV, S.; O conceito desempenho em estudos organizacionais e estratégia: um modelo de análise multidimensional. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 4, p. 580-607, 2011.

MAUSS, M.; Sociologia e antropologia. São Paulo: EPU, 1974 In: SERVA, M.; O fato organizacional como fato social total. Revista de Administração Pública, v. 35, n. 3, p. 131-152, 2001.

MILLER, C. C.; WASHBURN, N. T; GLICK W. H.; The Myth of Firm Performance. Organization Science, v. 23, n. 3, p. 948-964, 2013.

MORIN, E. O problema epistemológico da complexidade. Lisboa: EuropaAmérica, 1996. In: SERVA, M.; DIAS, T.; ALPERSTEDT, G. D.; Paradigma da complexidade e Teoria das organizações: Uma reflexão epistemológica. RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 50, n. 3, p. 276-287, 2010.

NAG, R.; HAMBRICK, D. C.; CHEN, M.; What is strategic management, really? Inductive derivation of a consensus definition of the field. Strategic Management Journal, v. 28, n. 9, p. 935-955, 2007.

NILSEN, O. A.; RAKNERUD, A.; IANCU, D.; Public R&D support and firm performance: A multivariate dose-response analysis. Research Policy, v. 49, n. 7, p. 1-16, 2020.

OLDFORD, E.; ULLAH, S.; HOSSAIN, A. T.; A social capital view of women on boards and their impact on firm performance. Managerial Finance, ahead-to-print, 2020.

ORO, I. M.; LAVARDA, C. E. F. Interaction Between Strategy and Organizational Performance: The Influence of Family Management. BBR. Brazilian Business Review, v. 14, n. 5, p. 493-509, 2017.

PAIM, N. A., LARA, J. E. e CHRISTINO, J. M. M. (2011). Relações quantitativas entre orientação para o mercado, desempenho organizacional e a percepção externa de sucesso em instituições de pesquisas tecnológicas afiliadas à ABIPTI. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 6, p. 1059-1077, 2011.

PEINADO, J.; FERNANDES, B. H. R.; Estratégia, competências e desempenho em empresas de pet shop: evidências de um levantamento em Curitiba. Revista de Administração (São Paulo), v. 47, n. 4, p. 609-623, 2012.

RAMOS, G.; A nova ciência das organizações. 2ª ed, Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1989.

RICHARD, P. J et al; Measuring organizational performance: towards methodological best practices. Journal of Management, v. 35, n. 3, p. 718-804, 2009.

SERVA, M.; DIAS, T.; ALPERSTEDT, G. D.; Paradigma da complexidade e Teoria das organizações: Uma reflexão epistemológica. RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 50, n. 3, p. 276-287, 2010.

SERVA, M.; O fato organizacional como fato social total. Revista de Administração Pública, v. 35, n. 3, p. 131-152, 2001.

SEVERGNINI, E.; GALDAMEZ, E. V. C.; VIEIRA, V. A.; Efeitos do Exploration, Exploitation e Ambidestria no Desempenho das Organizações de Software. Revista de Administração Contemporânea, v. 23, n. 1, p. 111-134, 2019.

TAKAHASHI, A. R. W. et al.; Capacidades Dinâmicas, Capacidade de Marketing e Desempenho Organizacional. BBR. Brazilian Business Review, v. 14, n. 5, p. 466-478, 2017.

UPPAL, N.; CEO narcissism, CEO duality, TMT agreeableness and firm performance: An empirical investigation in auto industry in India. European Business Review, v. 32, n. 4, p. 573-590, 2020.

WEGNER, D.; MISOCSKY, M. C. Avaliação de desempenho de redes de pequenas empresas: Contribuições da abordagem da produção de sentido. Organizações & Sociedade, v. 17, n. 53, p. 345-361, 2010.

YOSHIKUNI, A. C. et al.; As influências dos Sistemas de Informação Estratégicos na relação da Inovação e Desempenho Organizacional. BBR. Brazilian Business Review, v. 15, n. 5, p. 444-459, 2018.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Alisson de Moraes Bastos, Eduarda da Rosa Porto, Miguel Lucas dos Santos Yaya, Letícia Simões Siqueira